Aqui mesmo em nosso blog, nos artigos com o título de As 10 maiores rochas do mundo (parte 1 e 2), vimos que algumas dessas rochas são encontradas em alguns parques nacionais ao redor do mundo e quando falamos sobre esses parques, duas podem ser as sensações.

A primeira é a de quem pode passar alguns dias percorrendo trilhas explorando a variedade da fauna e da flora desses locais. Nesse caso, fazemos de tudo para aproveita-los ao máximo porque sabemos que a hora de ir embora uma hora chegará. A segunda só pode ser sentida por quem mora ao lado desses lugares incríveis e é sobre o que dizem e sentem essas pessoas que falaremos nessa pequena série de 2 artigos.

Sedona e o Parque Nacional do Canyon – Estados Unidos

Distante apenas 160km do Grand Canyon, na pequena cidade de Sedona os moradores gostam de dizer: “Deus criou o Grand Canyon, mas Ele mora em Sedona”. Como além do Grand Canyon, a cidade também fica próxima de outras seis reservas naturais e estaduais e diversos monumentos nacionais, é vista como ”um grande polo para ecoturistas e amantes da natureza”, de acordo com a presidente da Câmara de Comércio Local, Jeniffer Wesselholf, imigrante suíça que mora na cidade por quinze anos.

Ainda segundo Wesselholf, “A região é famosa por seus redemoinhos, que são poderosos centros de energia cinética com um efeito profundo sobre as pessoas, os moradores canalizam essa energia caminhando, andando de bicicleta, fazendo passeios de jipe ou apenas absorvendo as boas vibrações. As pessoas aqui são bem felizes”.

Um lugar bem frequentado na cidade é o bairro de Uptown, que atrais as pessoas por causa dos seus famosos bangalôs e da grande variedade de restaurantes.

Imagem

Arusha e o Parque Nacional Serengeti, Tanzânia

Mesmo que os safáris sejam a principal atração para quem visita Arusha, para os moradores, estar perto da vida selvagem e da topografia impar da reserva natural Ngorongoro é motivo de muita alegria.

Para o britânico Jason Barry que já vive na cidade há quatro anos, “As ruas principais e secundárias estão cheias de ateliês, estúdios de artesãos, fabricantes de móveis e escritores. Caminhando por 200 metros, é possível encontrar alguém para consertar seu carro, costurar um terno para você ou até fazer o seu caixão”.

Já para Kent Redding, fundador da Africa Adventure Consultants, “a cidade tem uma pegada de faroeste americano”. Não que nela possamos ficar sabendo sobre crimes violentos que, na verdade, são raros, mas há uma preocupação com ondas de pequenos furtos.

Existe uma expectativa de que nos próximos cinco anos quase quarenta mil novas casas sejam construídas.

Imagem

Até o próximo!